fbpx
De acordo com o American Kennel Club, o buldogue francês é considerado a 6ª raça de cães mais popular nos EUA – e não é muito diferente no Brasil.
O que me chama muito a atenção em relação a eles é o quanto são contraditórios: eles são cães, mas possuem expressões muito humanas! Eles têm carinha de bravos, mas tendem a ter um coração de manteiga. Eles possuem corpinhos fortes e possantes, mas não possuem muita consciência corporal e vivem tropeçando em si mesmos!
Quem aguenta essa sobrancelha arqueada? 🙂
Fonte: Pinterest

Eles são fofos mas não são cães democráticos e precisamos dizer 5 coisas que você precisa saber antes de ter um buldogue francês:

1. Eles são caros.
Porque:
Não é fácil encontrar um frenchie apto a reproduzir (saiba mais sobre isso clicando neste link)
Cães machos não devem fazer monta natural. Todo o processo reprodutivo acontece por inseminação artificial.
Atonia uterina é um mal frequente na raça. Por isso os partos precisam ser cesariana.
É uma raça com índice de mortalidade no pós-natal imediato significativo. As primeiras semanas de vida exigem cuidados diuturnos.

2. Socializar um buldogue francês com outros cães exige conhecimento em comportamento canino.
Frenchies são cãezinhos curiosos destemidos estabanados insistentes e que fazem barulhos esquisitos. Na maior parte das vezes isso causa estranhamento e reações negativas dos outros cães.
É MUITO comum encontrarmos cães que sejam reativos a buldogues franceses! Em resposta a essas agressões de outros cães muitos buldogues franceses tornam-se agressivos com outros cães.

3. Eles não toleram uma rotina inadequada
Um buldogue francês com uma rotina empobrecida de estímulos físicos e mentais é um sério candidato a desenvolver problemas comportamentais.

4. Eles podem (literalmente) morrer de calor
Buldogues franceses têm dificuldade em controlar a sua temperatura interna. Por isso em dias muito quentes não saia com ele na rua mantenha o ar condicionado ligado e fique atento ao seu padrão respiratório. Ele está ofegante demais? Molhe-o com água fria até que a sua respiração volte ao normal.

5. Eles têm problemas de coluna
Doenças do disco intervertebral são muito comuns na raça. O tratamento pode ser conservador (acupuntura ozonioterapia laserterapia medicamentos etc.) ou cirúrgico.
Por isso sugerimos: não estimule seu frenchie a saltar mantenha-o com o corpinho fit pratique atividade física de baixo impacto (caminhada ou natação) diariamente para fortalecer a musculatura do seu cão.




 

SAIBA TUDO SOBRE OS BULDOGUES FRANCESES!

Clique na imagem e baixe o seu manual gratuitamente.

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO SER VIP

Quer participar do nosso grupo VIP? Cadastre-se!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This