fbpx
A ideia de deixar o cachorro na creche pode ainda provocar risos nos mais desavisados, não é mesmo? Mas, só nós, pais de cachorros, sabemos como é importante manter a saúde mental dos nossos filhos de 4 patas.
Precisamos trabalhar, precisamos nos ausentar de casa e simplesmente não dá para deixar um ser tão social, quanto um cão, passar o dia inteiro sozinho. Isso o torna infeliz – e ele nos fala sobre a sua infelicidade: um cachorro solitário desenvolve hábitos compulsivos (lamber patas, correr atrás do próprio rabo, caçar moscas imaginárias, etc.), tem dificuldades para aprender o básico (inclusive educação sanitária), costuma ser hiperativo, ansioso… a lista de problemas é grande!
Para prevenir problemas de comportamento (e inclusive manejar alguns), para socializar os cães, para promover atividades físicas e mentais, a creche canina é uma excelente ferramenta nos centros urbanos. Entretanto, gostaria de sugerir uma reflexão: você escolheria qualquer escola para o seu filho humano? Tenho certeza que a resposta é um sonoro NÃO. Como bons pais, que somos, procuramos conhecer as instalações físicas, procuramos por cases de sucesso no ENEM, procuramos saber sobre a qualificação dos professores, etc. 
Com cães não pode ser diferente, pois o mesmo impacto que a escola tem na vida dos nossos filhos humanos, a creche tem na vida dos nossos filhos caninos – e obviamente, desejamos apenas impactos positivos. Por isso, este texto existe! Queremos ajudar você nessa escolha que é tão importante para o QVD do seu cão. 
Sugerimos atenção para:
1) As instalações físicas
São limpas e bem cuidadas? (isso é o básico do básico)
Há espaço para os cães brincarem?
O espaço é dividido, para que cães de portes, graus de energia ou formas de brincar diferentes possam ficar separados?
2) O número de cães que a creche recebe
Pátios lotados não permitem que atividades de qualidade sejam executadas e o acúmulo de cães é inversamente proporcional a atenção dada a cada um deles. 
3) A creche recebe machos adultos não castrados?
Há enormes riscos envolvidos em misturar muitos machos inteiros em um ambiente fechado (aliás, você já percebeu como essa configuração é rara na natureza? Machos tendem a isolar-se uns dos outros). Bem, esse assunto, por si só, poderia render um enorme texto… resumindo, acredite: é uma péssima ideia deixar o seu cachorro em um ambiente onde a testosterona está em ebulição.
4) A creche faz avaliação dos cães?
Esse é um item que merece muita atenção. Se a creche dispensa a avaliação do seu cão, provavelmente ela assim procede com todos os outros matriculados.  Porém, infelizmente, alguns cães são totalmente inaptos a frequentar o ambiente de creche, porque podem, inclusive, colocar em risco a integridade física e a saúde mental de outros cachorros. A seleção dos cães que podem frequentar a creche é uma segurança para você e para o seu peludo.
5) A creche faz a adaptação dos novos alunos?
Sair de casa e passar um dia inteiro em um ambiente totalmente desconhecido, com cães desconhecidos e com pessoas desconhecidas por ser extremamente angustiante para alguns peludinhos.  Levar em conta o bem-estar deles e fazer uma adaptação progressiva é fundamental e respeitoso. A creche que você está pesquisando se preocupa com o bem-estar do seu cão?
6) A equipe que trabalha na creche entende de comportamento canino?
Definitivamente, manejo de cães em grupo não é para amadores! A equipe é tecnicamente atualizada? Faz cursos? Utiliza a metodologia positiva na educação canina? Conhece os principais nomes de teóricos e comportamentalistas da área? Conhece os estudos mais atuais sobre comportamento canino? Por fim: você colocaria seu filho humano em uma escola com professores sem a devida formação? O mesmo vale para nossos cães.
7) Há festas dentro da creche e/ou ela permite a entrada de terceiros (inclusive tutores) no pátio?
Entender a forma como os cachorros se comportam é o básico entre pessoas que gerenciam um grupo de cães – e, quem entende, sabe que eles podem reagir, fazendo guarda de recursos. Comida e tutores são “recursos” que muitos cães costumam proteger de outros cães! Já falamos sobre isso aqui.
A  pergunta que fica é: você se sentiria seguro deixando seu cão em um ambiente que colocasse em risco a integridade física e mental dele?
8) Acompanhamento
Você recebe informações (fotos e vídeos) sobre o dia a dia dele? Recebe feedbacks sobre o comportamento dele na creche? Ele volta limpinho? Volta “inteiro” ou com machucados graves e recorrentes provocados outros cães?
9) A creche é atenta à saúde dele?
Pede cartão de vacinas ou titulação de anticorpos?  Permite que seu cachorro, mesmo estando doente, a frequente? (se ela permite que o seu cão, quando adoentado, frequente o espaço, certamente permite que outros doentes frequentem também…) Faz inspeção de pulgas e carrapatos?
10) Cuidados extras 
A creche é regulamentada e está registrada nos devidos órgãos responsáveis? Tem CNPJ? Tem alvará da prefeitura? É inspecionada pela vigilância sanitária? Foi vistoriada pelo corpo de bombeiros? Tem responsável técnico (RT deve ser médico veterinário)? 
UFA!
Se a creche que você escolheu para o seu amor de 4 patas passou nos testes acima, fique tranquilo! Ela será uma enorme promotora de bem-estar na vida do seu peludinho querido! ♥
Em Belo Horizonte – MG, a creche que preenche todos os requisitos acima é a Educãodo. Eu adoraria poder matricular o Bento lá! Mas, como vocês sabem, o Bento não é castrado e já expliquei anteriormente que machos inteiros em um ambiente fechado é receitinha certa de problemas.

 

SAIBA TUDO SOBRE OS BULDOGUES FRANCESES!

Clique na imagem e baixe o seu Manual.

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO SER VIP

Quer participar do nosso grupo VIP? Cadastre-se!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This