A maior parte da informação que encontro, refere que são cães que facilmente se adaptam à vida do dono, não necessitam de muito exercício, e são ótimos para apartamento.
Como trabalho 8 horas por dia, chego a casa pelas 18h30, e vivo numa casa não muito grande (num parque florestal), pensei logo que tinha encontrado a raça ideal para partilhar a vida comigo.
No entanto, contactei uma criadora, e esta contradisse tudo aquilo que tinha lido até hoje. Afirmou que são cães que precisam de espaço, de um terraço ou jardim, e não podem ficar tempo nenhum sozinhos. Na minha opinião, todos os cães precisam de espaço e não devem ficar tempo nenhum sozinhos, mas há cães que se adaptam melhor que outros a certas condições, penso eu… 
Também informou que ter outro animal para lhe fazer companhia não valia a pena pois os BF são muito brutos e o mais provável era “matá-lo”.
Não podia ter ficado mais triste ao ouvir o que ouvi…
Gostaria de saber a sua opinião. Helena

____________________________________________________
Oi Helena! Buldogues franceses são mesmo EXCELENTES cães para apartamento: quase não latem, não demandam atividade física diária para “gastar” sua energia (mas, obviamente adoram-amam-veneram passear) e ocupam um mínimo espaço dentro dentro de casa (aquele em torno de seus pés). Na minha opinião, não são cães para serem criados em ambientes externos, no quintal ou reclusos em canis. Frenchies são cães absolutamente sociáveis e precisam estar na companhia da pessoas para serem equilibrados e felizes. Além disso, possuem respiração, pele e pelagem sensíveis e, em nosso clima tropical, essa sensibilidade é ainda aumentada – eles são cães originados de países temperados/frios.
Para quem tem trabalha em período integral buldogues franceses são totalmente contra-indicados. A solidão é o gatilho que dispara vários distúrbios de comportamento como auto-mutilação, regressão de comportamento, excesso de timidez, agressividade, dificuldade de aprendizado, coprofagia, doenças psicossomáticas e um número sem fim de sinais. Frenchies machos inteiros não convivem bem com nenhum outro cão, de nenhum outra raça, que seja macho inteiro. É verdade o que a outra criadora lhe informou. Se estiverem sozinhos e houver alguma briga, o buldogue francês macho talvez desista quando tiver certeza que o outro desistiu de brigar ou… morreu. As fêmeas tendem a ser encrenquinhas entre si e podem encrencar com fêmeas de outra raça. Se estiverem no cio, brigas entre elas costumam ocorrer. E quando as meninas resolvem brigar, todas entram na confusão… e costumam escolher uma para apanhar, sem limites.
Entre fêmeas castradas a convivência é mais pacífica. A convivência entre cães de sexo diferentes costuma ser pacífica, desde que eles estabeleçam a hierarquia entre eles. Eu NUNCA encaminho um frenchie macho da minha casa, para onde já exista outro cão macho, mesmo castrados. A idade da castração influi no temperamento do cão.
Encaminho COM RESERVAS uma fêmea, para onde já resida outra fêmea, obviamente ambas devem ser castradas.
Não vejo problemas em encaminhar cães de sexo diferente, obviamente ambos devem ser castrados. O termo “bruto” não é o que melhor se aplica ao buldogue francês, apesar deles serem meio abrutalhados em suas maneiras, às vezes! Eles querem colo, pulam no sofá, pedem o seu carinho e fazem isso sem a menor cerimônia.
Mas, eles são cães DOMINANTES por natureza. Isso é uma coisa que não se muda neles. É uma característica da raça.
Querer que frenchies sejam passivos na convivência com outros cães é como querer que o sorvete de chocolate seja cor-de-rosa…. impossível! Eles nasceram para liderar e não aceitam serem desafiados. Grande abraço! Camilli

]]>

 

Quer entender e organizar, de uma vez por todas, a vida do seu buldoguinho?

 

CLIQUE NA IMAGEM E ADQUIRA OS 3 VOLUMES DO E-BOOK

"MANUAL DO BULDOGUE FRANCÊS" POR APENAS R$ 19,90!

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO PARTICIPAR

Quer participar do nosso grupo exclusivo? Cadastre-se gratuitamente!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This