fbpx

Ter um frenchie com problemas recorrentes de vômitos e regurgitações, que são “inexplicáveis”, já aconteceu conosco, em 2007. Naquela época, foram muitas centenas de reais gastos em consultas com diferentes veterinários, endoscopias, radiografias, dúzias de exames laboratoriais, acupuntura, rações terapêuticas, medicamentos diversos que não resolveram nada (Ranitidina, Sucralfilm, Plasil, corticoides…) e muita preocupação em ver nossa frenchie definhando a olhos vistos. 

Conhecemos muitas pessoas que também já passaram por isso, com seus frenchies, e recebemos muitos e-mails de pessoas que estão passando pela mesma situação.
Um fato curioso, comum entre todos os relatos, é que uma causa muito provável (e óbvia), do problema, não costuma ser questionada: a alimentação do cão. Acho que entendo a razão isso: há um trabalho muito grande, da indústria de rações, em condicionar as pessoas (inclusive médicos veterinários) a acreditar que a ração industrializada é um alimento completo, saudável e que não precisa de complementos. Somos todos tão condicionados a pensar dessa maneira que nem a questionamos como possível causadora de problemas, não é verdade? Pois é… o erro está aí
Recentemente, conhecemos a história de uma frenchiezinha que passou por esse problema, porém de uma forma e com uma gravidade que ainda nunca tínhamos visto. O nome dessa buldoga é Aimeé e, desde bebezinha, ela apresentou várias questões de saúde. 
O problema mais preocupante, de Aimeé, era o fato de ela vomitar TUDO que comia. Aos 06 (seis) meses de idade, estava muito fraca, tinha seu desenvolvimento comprometido, apresentava infecções respiratórias (infecções são comuns em indivíduos subnutridos) e pesava apenas 5,200 kg. (para que vocês consigam comparar e entender a gravidade da situação, o Bento, aos 06 (seis) meses de idade, pesa mais de 9 kg)
Aimeé passou por veterinários que descartaram megaesôfago, nanismo (decorrente de distúrbios da hipófise), alterações da tireoide e quaisquer outras doenças que explicassem o seu estado de saúde. 
Naiana Perobelli, tutora de buldoguinha e sócia da Bicho Balanceado, foi orientada a alimentar sua frenchie com alimentação natural cozida, inicialmente sob a forma de papinha, para facilitar o processo digestivo. E, adivinhem? Ela parou de vomitar, começou a crescer e a ganhar peso.  Regurgitações muito leves aconteciam apenas de forma esporádica.
À medida que Aimeé melhorava, a papinha começou a ser substituída pela dieta cozida convencional. Da alimentação cozida, passou para a crua e sem ossos. Da crua sem ossos, evoluiu para a BARF (Biologically Appropriate Raw Food): um modelo de dieta 100% crua, majoritariamente carnívora.  
Durante esse processo, a buldoguinha também passou por dieta hipoalergênica, onde foram detectados alguns alimentos aos quais ela não se adapta bem e que aumentam as regurgitações: grãos, tubérculos, alguns vegetais e o frango comum (ela não tem problemas com o orgânico). 
Desde então, ela voltou a receber a dieta crua com ossos, livre de alimentos ricos em carboidratos (grãos e tubérculos), utilizando sempre que possível o frango livre de antibióticos e apenas com os vegetais que não fazem mal a ela. Aimeé, hoje, essa lindeza nas fotos, tem 4 anos e muita saúde! ♥
Há muitos outros problemas “inexplicáveis”, que aparentemente não têm relação nenhuma com a alimentação, mas que podem acontecer em função dela. Produção excessiva de remelas, assaduras nas dobrinhas de pele, otites de repetição, infecções recorrentes na pele, muco nas fezes, giardíase de repetição, sangue nas fezes, cálculos urinários, vômitos e regurgitações frequentes são exemplos de problemas que podem estar associados a uma dieta inapropriada e que merecem a atenção de um veterinário que entenda de nutrição.
O que lhe contamos parece familiar? Pois então, anote aí: a Bicho Balanceado, de responsabilidade técnica da Dra. Lorena Feijó, médica veterinária, é especializada em consultorias nutricionais (inclusive via Skype, para facilitar nossa vida) e pode formular uma dieta individualizada que atenda todas as necessidades do seu cão. Indicamos muito!
Receba nossos posts por e-mail: Delivered by FeedBurner
https://www.facebook.com/seubuldoguefrances/ https://www.instagram.com/seubuldoguefrances/ ]]>

 

SAIBA TUDO SOBRE OS BULDOGUES FRANCESES!

Clique na imagem e baixe o seu Manual.

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO SER VIP

Quer participar do nosso grupo VIP? Cadastre-se!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This