fbpx


Trabalhar na Série DFA está sendo um grande aprendizado para mim.
Eu já possuía uma idéia dos alimentos apropriados ou não para os cães, mas não tinha a menor idéia de como saber se produto comercial X era tão bom quanto diziam.
Na verdade, até agora, não encontrei nenhuma ração industrializada de uso recomendado para cães, no Brasil. Que lástima…
Mas, muitos veterinários continuam a prescrever esta ou aquela, sem o menor questionamento de seus protocolos. Lástima maior ainda. Bem, vou “juntar” o que encontrei de NÃO RECOMENDADO PARA CÃES na Série DFA. À medida que for descobrindo mais coisas, adiciono a esta postagem.
Carnes:
– Devem ser o ingrediente principal da ração;
– Como ingrediente principal, não devem estar pesadas hidratadas (ainda não descobri como saber se elas estão hidratadas ou não… obviamente, essa informação deve estar omitida! rsrs) ;
– Não devem estar sob a forma de subprodutos;
– Quando a carne for peixe, deve vir a especificação “livre de etoxiquina” ou “etoxiquina-free”;
Grãos:
– Soja e derivados (farelo de soja, óleo de soja, etc): acredita-se que a soja seja o alimento nº. 1 a causar problemas de alergias alimentares em cães;
– Trigo e derivados (farelo de trigo, fragmentos de trigo, glúten de trigo, etc.): extremamente relacionado com alergias alimentares em cães;
– Cevada: é um grão decente, mas não deve ser um dos ingredientes principais e nem deve estar sob a forma de subproduto;
– Aveia: é um grão decente, mas não deve ser um dos ingredientes principais e nem deve estar sob a forma de subproduto;
– Arroz: é um grão decente, mas não deve ser um dos ingredientes principais e nem deve estar sob a forma de subproduto;
Gorduras:
– A gordura de origem animal deve ter especificação detalhada;
– A gordura não deve estar entre os 04 (quatro) primeiros ingredientes da ração;
Outros:
– Polpa de beterraba: pode estar relacionada a problemas otológicos, hepáticos, renais e alergias;
– Vitamina K sintética: alegada por alguns estar associada a problemas hepáticos;
– Corantes: não há nada que justifique a sua presença nos produtos alimentares para cães;
– Açúcar: não há nada que justifique a sua presença nos produtos alimentares para cães;
– Ovos: devem estar presentes inteiros e não na forma de subprodutos;
– Conservantes químicos BHA e BHT: estão proibidos na alimentação humana, por serem considerados cancerígenos. Não deveriam estar presentes nas rações para cães. > para a série “Minha Experiência Com Alimentação Natural”]]>

 

SAIBA TUDO SOBRE OS BULDOGUES FRANCESES!

Clique na imagem e baixe o seu Manual.

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO PARTICIPAR

Quer participar do nosso grupo exclusivo? Cadastre-se gratuitamente!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This