fbpx

Quantas vezes você já leu, ouviu ou, mesmo, falou essa frase? Penso que cabe uma boa reflexão nela.

Ate onde sei, todas as pessoas que trabalham pensam em lucrar. Obviamente, há outros prazeres envolvidos no trabalho – como o prazer em ajudar as pessoas, a oportunidade de fazer um mundo melhor, etc. Mas a autorrealização só vem quando você é recompensado financeiramente pelo que faz,  afinal o dinheiro se traduzirá em conforto, segurança e comida na mesa para você e sua família. Conheço muitas pessoas que desistiram de sua profissão – apesar de amá-la – porque não conseguiam se realizar financeiramente nela. Então, no resumo da história, todos que trabalham precisam lucrar.
Entretanto, quando o trabalho envolve lidar diretamente com vidas, há um pensamento equivocado de que os profissionais labutam somente pelo prazer de ajudar ao próximo ou ao mundo, como se não tivessem contas para pagar. Médicos, médicos-veterinários e criadores de cães são exemplos de vítimas desse tipo de pensamento. Mas, hoje, vamos falar só dos criadores de cães – afinal já fui uma e me sinto agredida com alguns comentários inoportunos.
Vocês já pensaram nos gastos que uma criação de cães envolve? Cito alguns básicos:
  • aquisição dos cães (inclusive importados);
  • alimentação dos cães;
  • manutenção do local onde os cães vivem (limpeza, água, luz, etc.);
  • pagamento de funcionários;
  • despesas veterinárias;
  • despesas com exposição de cães.

Lucrar é uma necessidade para manter a criação de cães viável. A meu ver, o problema está em “querer lucrar acima de qualquer valor”. Fui ensinada que o criador de cães tem a responsabilidade de manter a raça que lhe foi dada pelos criadores anteriores e que seu trabalho é deixar um registro de melhoria na raça que cria. Fui ensinada que é preciso pagar um preço para ser criador de cães e o preço é conscientizar outras pessoas e proteger a raça de qualquer dano.
Sempre exigi a castração dos meus filhotes, selecionei rigorosamente os futuros donos dos meus cães e, contratualmente, assumi a responsabilidade de receber cada um de volta (a qualquer tempo) se houver algum problema e o dono não puder ficar mais com ele. Minha criação sempre foi muito responsável e, apesar de eu precisar do lucro para mantê-la, ele nunca esteve acima da minha ética. É possível criar cães de uma maneira muito digna, sem tornar o mundo um lugar pior. Penso que qualquer tolo pode permitir que sua cadela engravide, mas pouquíssimas pessoas podem ser criadoras de cães.
Vamos refletir sobre isso? VAMOS!!!
Foto da maternidade do Canil Belboulecan, de onde importei 
um dos cães mais sensacionais que conheci.
Receba os posts por email: Delivered by FeedBurner
siga-nos: 
]]>

 

SAIBA TUDO SOBRE OS BULDOGUES FRANCESES!

Clique na imagem e baixe o seu Manual.

 

Receba novidades e conteúdos exclusivos!

QUERO PARTICIPAR

Quer participar do nosso grupo exclusivo? Cadastre-se gratuitamente!

NÓS APOIAMOS

CAMILLI CHAMONE

Pós-graduada em Genética e Biologia Molecular. Foi professora universitária federal de Biologia Celular e Genética. Criou buldogues franceses. Foi membro efetivo do Conselho Disciplinar do Kennel Clube de Belo Horizonte. Foi Diretora da Federação Mineira de Cinofilia. É editora do "Seu Buldogue Francês", o maior blog do mundo sobre buldogues franceses, e de todas as mídias sociais que levam esse nome. É palestrante e consultora sobre bem-estar e comportamento canino. Além disso tudo, é perdida e irremediavelmente apaixonada por frenchies.

SIGA O SEU BULDOGUE FRANCÊS NAS REDES SOCIAIS

E-mail

seubuldoguefrances@gmail.com

POSTS DO INSTAGRAM

Pin It on Pinterest

Share This